*** Lar Esperança dos Idosos ***

quarta-feira, junho 15, 2005

Entrevista realizada na instituição no dia 14 de junho de 2005 com voluntária do Lar Esperança dos Idosos

Entrevista - Creuza Cerqueira Silva - voluntária
Idade: 47 anos
Ocupação: Costureira

Projeto interdisciplinar (P.I): Como você conheceu o Lar Esperança dos Idosos?

Creuza: Através de minha cunhada, que já ajudava, ainda na antiga casa. Quando percebi que era uma entidade necessitada e séria, resolvi contribuir.

P.I. - Qual o retorno disso?

Creuza: Uma grande satisfação, a certeza de que estou fazendo a coisa certa ajudando esses idosos tão carentes.

P.I. - Como é a sua relação com eles?

Creuza: É de extrema fraternidade, é como se eles fossem minha segunda família. Pessoas simples que encontram em nós, voluntários, a família que não tiveram.

P.I. - Por serem de idades avançada eles têm muitas coisas pra contar. Já ouviu alguma história ilusitada?

Creuza: Todas as histórias que ouvimos deles é sempre a mesma, sempre de solidão, tristeza e dor. Poucos têm coisas alegres pra contar.

domingo, junho 05, 2005

Descanso...


O sono sempre na esperança de um dia melhor

quarta-feira, junho 01, 2005

Estatuto do Idoso


Após sete anos tramitando no Congresso, o Estatuto do Idoso foi aprovado em setembro de 2003 e sancionado pelo presidente da República no mês seguinte, ampliando os direitos dos cidadãos com idade acima de 60 anos. Mais abrangente que a Política Nacional do Idoso, lei de 1994 que dava garantias à terceira idade, o estatuto institui penas severas para quem desrespeitar ou abandonar cidadãos da terceira idade. Veja os principais pontos do estatuto:

Saúde

O idoso tem atendimento preferencial no Sistema Único de Saúde (SUS). A distribuição de remédios aos idosos, principalmente os de uso continuado (hipertensão, diabetes etc.), deve ser gratuita, assim como a de próteses e órteses. Os planos de saúde não podem reajustar as mensalidades de acordo com o critério da idade. O idoso internado ou em observação em qualquer unidade de saúde tem direito a acompanhante, pelo tempo determinado pelo profissional de saúde que o atende.

Transportes Coletivos

Os maiores de 65 anos têm direito ao transporte coletivo público gratuito. Antes do estatuto, apenas algumas cidades garantiam esse benefício aos idosos. A carteira de identidade é o comprovante exigido. Nos veículos de transporte coletivo é obrigatória a reserva de 10% dos assentos para os idosos, com aviso legível. Nos transportes coletivos interestaduais, o estatuto garante a reserva de duas vagas gratuitas em cada veículo para idosos com renda igual ou inferior a dois salários mínimos. Se o número de idosos exceder o previsto, eles devem ter 50% de desconto no valor da passagem, considerando-se sua renda.

Violência e Abandono

Nenhum idoso poderá ser objeto de negligência, discriminação, violência, crueldade ou opressão. Quem discriminar o idoso, impedindo ou dificultando seu acesso a operações bancárias, aos meios de transporte ou a qualquer outro meio de exercer sua cidadania pode ser condenado e a pena varia de seis meses a um ano de reclusão, além de multa. Famílias que abandonem o idoso em hospitais e casas de saúde, sem dar respaldo para suas necessidades básicas, podem ser condenadas a penas de seis meses a três anos de detenção e multa. Para os casos de idosos submetidos a condições desumanas, privados da alimentação e de cuidados indispensáveis, a pena para os responsáveis é de dois meses a um ano de prisão, além de multa. Se houver a morte do idoso, a punição será de 4 a 12 anos de reclusão. Qualquer pessoa que se aproprie ou desvie bens, cartão magnético (de conta bancária ou de crédito), pensão ou qualquer rendimento do idoso é passível de condenação, com pena que varia de um a quatro anos de prisão, além de multa.

quarta-feira, abril 20, 2005

Solidariedade...



A confiança entre idosos e colaboradores

A carência é grande...

A relação entre alunos da Faculdade da Cidade do Salvador com os idosos da entidade

Momento da alimentação...

Assistência ao idoso na hora da alimentação

Sugestão de Pauta:

Entidades sem fins lucrativos,
como sobrevivem?

Parcialmente destituídas de interesses econômicos e voltadas para a promoção de mudanças sociais, as entidades sem fins lucrativos, sobrevivem através da participação voluntária de cidadãos.
Determinadas atividades, que antes eram exclusivas do Estado e que passaram a não mais depender de ações governamentais, agora depende da vontade e solidariedade de voluntários.
Procurar informações de responsáveis por entidades, beneficiados.

quarta-feira, abril 06, 2005

Entrevista realizada na instituição no dia 01 de abril de 2005, com o diretor da entidade Lar Esperança dos Idosos.

Entrevistado: Jaime Nascimento - diretor da entidade.
Idade: 49 anos
Ocupação: Comerciante

Projeto interdisciplinar (P.I): De quem foi a iniciativa de fundar o Lar Esperança dos Idosos?

Jaime: De minha esposa Rita de Cássia Oliveira, que antes trabalhava no abrigo de Irmã Maria Luísa, mas que um dia enfrentou uma crise financeira, e muitos idosos não tinham para onde ir. Rita ficou bastante comovida e resolveu fundar o Lar Esperança dos Idosos, que começou com oito velhinhos e hoje em dia temos 18.

P.I. - Quem ajuda a entidade ?

Jaime: Recebemos ajuda das pessoas do próprio bairro (Bonfim), e as vezes outras faculdades nos visitam e fazem doações como a Faculdade Integrada da Bahia (FIB), que fez uma doação de 500 latas de leite.

P.I. - Do que vocês mais necessitam ?

Jaime: Temos muita carência de fraldas geriátricas e alimentação, principalmente farinha para mingau, o que eles mais consomem. Vale ressaltar que temos grande necessidade de assistência de profissionais voluntários como médicos e fisioterapeutas.

P.I. - E as despesas dessa entidade?

Jaime: Nossas despesas são grandes. Temos no nosso orçamento um valor de R$ 1.200 que é o aluguel da casa, recibos de água e luz, medicamentos, fraldas geriátricas e alimentação. Sem contar que temos a necessidade de repor peças como: vestuário, cobertores, lençóis e toalhas de banho.

P.I. - Em época de eleição os políticos procuram a entidade atrás de voto?

Jaime: Não, porque são pessoas já com uma certa idade, debilitados e não votam mais, por isso, os políticos não procuram, porque o interesse deles é somente o voto.

P.I. - A entidade é registrada?

Jaime: Sim, foi registrada no dia 20 de fevereiro de 2000, e nosso CGC é 051354430001/03.

P.I. - Quantos idosos vocês acolhem nesta instituição?

Jaime: No momento moram 18 idosos, mais estamos aguardando a chegada de mais quatro.

domingo, abril 03, 2005

Atual residência do Lar Esperança...

A nova sede da Instituição na Cidade Baixa


Essa é a nova casa, que fica na mesma Rua Henrique Dias, mas no n° 401, Baixa do Bonfim, e dá continuidade a essa bela iniciativa de ajudar pessoas que já contribuíram muito pela história de nosso país. Muitos deles foram abandonados e até sofreram maus tratos de seus próprios familiares. Mas com todo cuidado, amor e carinho reverteremos este quadro e hoje em dia podemos conseguir até enxergar o brilho dos seus olhos e a força de vontade de viver de cada um deles !!!

quarta-feira, março 09, 2005

Residência onde tudo começou...


Antiga fachada do Lar Esperança dos Idosos



Como nasceu a entidade:

Voluntária, Rita de Cássia Oliveira trabalhava na Casa da irmã Maria Luiza, lar de pessoas idosas que fica nos Mares, na Cidade Baixa. Rita sempre foi uma pessoa voltada para a caridade e sempre gostou de cuidar dos velhinhos.
Ficou lá por sete anos. Quando a casa precisou passar por uma reforma e os idosos foram remanejados para outras entidades, mas Deus lhe reservara uma grande oportunidade. A madre responsável pela Casa chegou até ela e lhe disse que precisava de um imóvel para colocar oito idosos. Foi quando Rita tomou a frente da demanda e conseguiu alugar uma casa com muito sacrifício no Bonfim para acomodar os idosos. A reforma do Lar Irmã Maria Luíza durou seis meses e durante todo esse tempo ela cuidava daqueles velhinhos como se fossem seus bebês.
Então, quando soube do término da reforma, ela se perguntou: ”E agora o que vai acontecer?” E para sua surpresa a madre lhe disse que foi chegada a hora de fazer sua contribuição. Isso aconteceu no ano de 2000 e a partir daí ela com sua coragem e o apoio de alguns colaboradores conseguiu manter até hoje essa entidade. Hoje ela tem o auxílio de oito funcionários e um diretor que cuidam da parte administrativa da entidade. Eles atendem no total de 17 idosos. São todos bem cuidados por todos da casa e é impressionante o carinho e o amor que os idosos tem pelas pessoas que ajudam na casa.
Podemos constatar, nas visitas, que o trabalho, que esses voluntários fazem no Lar Esperança dos Idosos é fundamental porque os nossos velhinhos estão abandonados e isso é um absurdo, pois eles contribuíram muito pela história do País. Hoje eles estão velhos e abandonados mas ontem eles eram jovens e cumpriam com seus deveres como cidadãos. Mas o Lar procura dar a essas pessoas todo o carinho e amor que seus parentes não dão. Muitos foram abandonados pelos próprios filhos, até sofreram maus tratos; e poucos visitam seus familiares. Nessa entidade, trabalham sete funcionários, seis auxiliares de enfermagem, que têm a função de cuidar dos idosos, dar banho, remédios e fazer companhia para eles, sendo que todos são remunerados, e uma cozinheira que é responsável pela alimentação deles. Possui apenas 3 quartos para 20 idosos, 1 cozinha pequena com apenas um fogão, uma geladeira e uma mesa pequena. Nós aprendemos a amar essa entidade que tanto faz para manter a dignidade e a integridade dessas pessoas que também aprendemos a amar.